Lancei o meu grito bárbaro sobre os telhados do mundo

A origem onomatopeica da palavra bárbaro, segundo Stephen Ullmann, “começou por ser uma imitação dos ruídos bizarros produzidos por uma língua estrangeira incompreensível, mas nada do significado e da motivação originais permanece no inglês brave, francês brave, alemão brav etc., que, com todas as possibilidades, derivam da palavra latina; não estará afastado do primitivo o … Continue lendo Lancei o meu grito bárbaro sobre os telhados do mundo

Clarice e Clarissa tecem horas e bordam pétalas

A tecedora das horas seria o título de um texto que versaria sobre um trecho da obra de Clarice Lispector, minha mais doce obsessão. O título se referia a um fragmento do livro de CL, Um Sopro de Vida (Pulsações), em que o ato de tecer é mencionado quando o narrador diz que a personagem … Continue lendo Clarice e Clarissa tecem horas e bordam pétalas

Há pessoas e Pessoas

Há pessoas que não são pessoas.São pessoas tão pessoas, tão plenas que não cabem em si mesmas.Transbordam.Não há represa que as segure.Elas não chegam. Elas não visitam. Elas inundam.Há pessoas que não são pessoas.São Pessoas. — Há pessoas que são mais que pessoas. São acontecimentos. Foto por Daria Shevtsova em Pexels.com